Ligue-se a nós

Lendas Urbanas

Procissão das almas

Publicação

no

Uma procissão do além

Uma senhorinha vivia sozinha numa dessas cidadezinhas do interior do Brasil, onde qualquer coisa que acontece todo mundo fica sabendo. Esta senhora e passava boa parte do tempo olhando o movimento da rua pela janela, bem ao costume interiorano. Numa noite lá estava ela de novo na janela, no entanto, ela viu uma procissão passando. Segundo a lenda, tinha um monte de pessoas caminhando com roupas brancas e velas nas mãos. procissão dos mortos

A velhinha ficou encabulada com aquilo porque, como sabia, não era época de procissão. Ela estava justamente pensando sobre isso quando uma das pessoas que estavam na procissão parou e lhe entregou uma vela, pediu que a guardasse porque voltaria a no outro dia, para buscar. Sem desconfiar de nada, a senhora fez o que lhe pediram, guardou a vela em uma gaveta e e foi dormir. No outro dia, ao acordar, teve curiosidade de olhar a vela que pediram para guardar, para sua surpresa viu que no lugar da vela estava apenas o osso de uma pessoa adulta..

 540 Total de Visualização

Clique e para ler tudo

Lendas Urbanas

Mulher morta sai do cemitério e vai para balada

Publicação

no

Uma linda mulher morta, saíu do Cemitério e foi para balada.

saiu do cemiterio

Plena sexta feira a noite e João quer comemorar, e está se divertindo no centro da cidade junto com outras pessoas, quando encontra uma linda mulher, loira, corpo escultural, a mulher mais linda que ele já viu.

Ele toma coragem e resolve paquerar a tal mulher. Conversa vem conversa vai, quando o relógio do igreja bate meia-noite. Dentro desses minutos ele se aproxima para beija-lá ele a toca e sente que ela está gelada. Mais não liga. A linda mulher o interrompe e diz que necessita ir embora, pois sua hora chegou.

2

Ela segue seu caminho, ele de tanta curiosidade vai segui-la. Sua perseguição acaba no cemitério municipal que era logo alí, bem perto, quando a vê entrando no cemitério. Ele acha estranho uma mulher linda como aquela entrar no cemitério e retorna.

Quando volta as pessoas rindo dele, ele se aproxima e pergunta o motivo do riso, e respondem. “você estava conversando com uma fantasma, ou então estava conversando sozinho” “você é um maluco”. Neste momento ele começa a suar frio, vai para casa e vai ao cemitério no dia seguinte. Foi quando andando pelo cemitério vê um túmulo com a foto da mulher de seus sonhos. Percebeu então que ela era um espírito.

*Essa é uma obra de ficção. Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência

mazinha

Gostou?

Receba outras no seu Email e WhatsApp

    Seu nome (obrigatório)

    Seu e-mail (obrigatório)

    Número WhatsApp com DDD

    Autorizo o Portal Todas Funerárias a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários (Pare receber salve o nosso número WhatsApp em sua agenda 11 99567 7070)

     667 Total de Visualização

    Clique e para ler tudo

    Curiosidade

    Caixão cai da funeraria, o morto acorda e é atropelado

    Publicação

    no

    Caixão cai no asfalto, o ‘morto” se levantou, provocando atropelamento do “morto” causando pânico entre os motoristas.

    quem é vivo aparece

    Caixão cai da funeraria, o morto acorda e é atropelado

    O americano Mark Williams, de 37 anos e 135 kg, dado como morto na Florida, após um ataque cardíaco, estava sendo levado para o cemitério.

    Mas, no caminho para o funeral, o caixão caiu do veículo. O incidente quase provocou um engavetamento. Só que algo muito estranho aconteceu. Após o caixão cair no asfalto, o “morto” se levantou, provocando pânico entre os motoristas.

    Um deles, no entanto, nem teve tempo de tomar susto. Voando na estrada, a mais de 130km/h, ele acabou atropelando o homem que todos consideravam defunto.

    Os familiares, que aguardavam pelo corpo, tiveram que aguardar mais algumas horas pela chegada do caixão. Mas nem o caixão nem o morto apareceram. O cadáver foi levado para o Instituto Médico Legal.

    Mark, que pelo jeito não estava morto coisa nenhuma, foi atingido e, enfim, morreu. Desta vez, diante do estado em que, infelizmente, ficou o corpo do homem, ele foi oficialmente declarado morto.

    *Essa é parte de uma obra de ficção bastante conhecida. Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência.

     735 Total de Visualização

    Clique e para ler tudo

    Lendas Urbanas

    Túmulo da ‘mulher da capa preta’ atrai muitos curiosos AL

    Publicação

    no

    Mausoléu da mulher da capa preta é sem dúvida o mais visitado do Cemitério Piedade AL

    A história da mulher da capa preta é conhecida por milhares de alagoanos e já atravessou a fronteira estadual. A lenda começou quando um rapaz conheceu uma mulher em um baile, admirado pela sua beleza ele a chamou para dançar algumas músicas. Logo em seguida, a moça pediu para que ele a deixasse em casa. Ao sair do local, o casal foi recebido por uma forte chuva, o rapaz demonstrando cavalheirismo, ofereceu a sua capa – preta – de chuva para protegê-la até o caminho de casa.

    10Ao chegar à residência da moça, eles se despediram e ela prometeu devolver-lhe a capa no dia seguinte, para que lhe houvesse tempo para lavá-la. Retornando a casa da jovem no dia posterior, o rapaz levou um grande susto. Ao bater à porta, deparou-se com a mãe da mulher por quem já estava se apaixonando. Ela surpresa lhe informou que a moça já havia falecido há tempos. O homem não acreditou e a mãe da moça se dispôs a levá-lo até o cemitério da Piedade, onde sua filha foi enterrada.

    Ao chegar no cemitério, o rapaz pôde comprovar o inesperado, observando as inscrições: ‘Aqui jaz Carolina de Sampaio Marques, nascida em 21 de março de 1869 e falecida em 22 de novembro de 1921′.

    Existe também outras versões do ocorrido, mas todas elas terminam do mesmo jeito com a surpresa do jovem ao ver o túmulo da falecida. Nos dias atuais, a catacumba de Carolina é coberta por uma réplica da capa preta visando atrair cada vez mais a atenção do público

    As opiniões de que conhece a história

    euclides da silvaO aposentado Euclides Correia da Silva, afirma  que trabalhou durante 40 anos como pedreiro no  cemitério Nossa Senhora da Piedade. “Quando cheguei para trabalhar a capa já estava construída. Sempre perto do dia de finados muitas pessoas visitam o túmulo dela e perguntam sobre a história. Tem pessoas que nem têm parentes enterrados, mas vêm para ver a capa”

    A técnica de informática Andreia Kalyma, dis que ouve versões dessa história desde criança de seu avô, que trabalhou por muitos anos no cemitério como mestre de obras. “Essa família viveu aqui no bairro do Prado e foi uma das mais antigas. A história diz que a mulher morreu com 52 anos, mas apareceu no baile como uma jovem. Ela vivia sozinha e tinha medo de nunca se casar, pois tinha tuberculose, e levou essa insatisfação para o túmulo”.

    A Lenda virou tema de bloco de carnaval

    A lenda da Mulher da Capa Preta foi tão disseminada em Alagoas, principalmente entre os moradores do bairro, que inspirou a criação de um bloco de carnaval com o mesmo nome.
    Há 19 anos, centenas de pessoas se concentram em frente ao cemitério Nossa Senhora da Piedade e saem pelas ruas do bairro.

    cemitério Nossa Senhora da Piedade

    O cemitério em questão é o mais antigo de Maceió, o bairro do Prado é um dos mais antigos e tradicionais da cidade, onde as antigas famílias de posses tinham suas grandes casas e muitas estórias do tipo ainda são contadas pelos mais velhos.

    Apesar de as versões contadas por moradores antigos e funcionários do cemitério mudarem com relação à carona que a mulher teria recebido, os pontos principais sempre são os mesmos.

    Gostou de ficar sabendo?

    Receba outras como essas no seu Email e WhatsApp

      Seu nome (obrigatório)

      Seu e-mail (obrigatório)

      Número WhatsApp com DDD

      Autorizo o Portal Todas Funerárias a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários (Pare receber salve o nosso número WhatsApp em sua agenda 11 99567 7070)

       758 Total de Visualização

      Clique e para ler tudo

      + Mais lidas