Ligue-se a nós

Noticias

Funerária contratou um táxi para levar a urna

Publicação

no

Funerária é condenada a pagar indenização por má prestação do serviço funerário. 

funeraria-contratou-um-taxi-para-levar-a-urna

O homem morreu em Araguaína e foi transportado para Palmas, distante 368 quilômetros, em um táxi contratado pela funerária de Araguaína, na região norte do Tocantins. Além disso, a empresa não mandou os paramentos para colocar o caixão e ainda orientou os familiares que a urna fosse colocado “no chão ou em cima de bancos”.

10O Juizado Especial Cível de Palmas, Tocantins, decretou que a funerária pague uma indenização à família do falecido pelo transporte até o cemitério ter sido feito por um táxi. De acordo com o juiz Rubem Ribeiro de Carvalho, determinou a devolução do valor pago é foi R$ 4 mil.

…pela total ausência de providências mínimas para que o velório ocorresse com a dignidade que o momento exige, pois a orientação para que o caixão fosse colocado no chão ou mesmo em cima de “bancos” é circunstância apta a desestruturar o ânimo psicológico de qualquer cidadão”, diz o juiz Rubem Ribeiro de Carvalho na decisão.

A empresa foi condenada a pagar R$ 4 mil de indenização, além de devolver o valor extra, pago pela família ao alugar os objetos necessários para o velório.

“Por mais que a requerida sustente que o autor detinha conhecimento dos limites da contratação, tendo em vista que a sede da funerária está situada em outra cidade, não há nos autos provas de que a requerida cumpriu seu dever de informação a esse respeito, mesmo porque diante do relevante valor da contratação é inesperado que o serviço funerário seja prestado sem o atendimento mínimo das necessidades exigidas pela situação enfrentada, especificamente o suporte para apoio do caixão”, pontuou.

Em nota a funerária condenada informou

A defesa da funerária informou que o corpo foi transportado em um veículo com identificação da empresa e que o transporte foi autorizado por escrito pela família. Disse ainda que preza pelo bom atendimento e respeito aos seus clientes, que sempre cumpriu com suas obrigações contratuais e que vai recorrer da sentença.

Na nota, a funerária diz que a família não pagou pelos custos dos serviços e que o processo seria uma forma de tentar se esquivar da dívida.

Fonte: G1

Gostou dessas informações?

Receba outras no seu Email e WhatsApp

    Seu nome (obrigatório)

    Seu e-mail (obrigatório)

    Número WhatsApp com DDD

    Autorizo o Portal Todas Funerárias a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários (Pare receber salve o nosso número WhatsApp em sua agenda 11 99567 7070)

     1,110 total de visualizações

    Clique e para ler tudo

    Cemitérios do Brasil

    Prefeitura da cidade de São Paulo divulga nomes dos concessionários do serviço funerário

    Publicação

    no

    Os vencedores de três blocos ja estão definidos. Ainda tem o bloco 4 que ainda não foi divulgado

    A Prefeitura de São Paulo divulgou nesta sexta-feira 12/08 os consórcios vencedores da licitação para administrar os 22 cemitérios da capital paulista pelos próximos 25 anos.

    Os consórcios Atena, Cortél São Paulo e Cemitérios e Crematórios SP foram os vencedores de três dos quatro blocos, por terem apresentado as melhores propostas. O bloco 4, que inclui o crematório da Vila Alpina, ainda não teve a definição.

    Os cemitérios foram divididos em quatro blocos e pelo menos três consórcios já tiveram os nomes definidos, por terem apresentado as melhores propostas.

    Acompanhe a definições

    Bloco 1 – Cemitérios da Consolação, Quarta Parada, Santana, Tremembé, Vila Formosa I e II e Vila Mariana

    Propostas – Bloco 1

    Nome da empresa Outorga fixa oferecida Outorga fixa mínima
    Consórcio Atena R$ 155.525.000,33 R$ 116.195.000,00

    Bloco 2 – Cemitérios do Araçá, Dom Bosco, Santo Amaro, São Paulo e Vila Nova Cachoeirinha

    Propostas – Bloco 2

    Nome da empresa Outorga fixa oferecida Outorga fixa mínima
    Consórcio Cortel São Paulo R$ 200.240.999,99 R$ 170.239.000,00

    Bloco 3 – Cemitério do Campo Grande, Lageado, Lapa, Parelheiros e Saudade

    Propostas – Bloco 3

    Nome da empresa Outorga fixa oferecida Outorga fixa mínima
    Consórcios Cemitérios e Crematórios SP R$ 153.378.000,00 R$ 144.697.000,00

    O único bloco que ainda não teve definição foi o lote 4, que abrange os cemitérios da Freguesia do Ó, Itaquera, Penha, São Luiz, São Pedro e Vila Alpina (crematório).

    Como o edital aponta que nenhuma empresa pode administrar dois blocos de cemitérios, as empresas que tiveram as três melhores propostas foram desclassificadas e a prefeitura de SP analise a documentário da última proposta, do Consórcio MonteSanto, para saber se a empresa tem condições de assumir os espaços.

    A proposta desse consórcio para administrar as unidades foi de R$ 110 milhões de outorga fixa, valor quase R$ 27 milhões abaixo da melhor proposta, que foi do Consórcio Cortel, conforme abaixo.

    Bloco 4 – Cemitérios da Freguesia do Ó, Itaquera, Penha, São Luiz, São Pedro e Vila Alpina (crematório)

    Propostas – Bloco 4

    Nome da empresa Outorga fixa oferecida Outorga fixa mínima
    Consórcio Cortel São Paulo R$ 137.281.999,99 R$ 108.281.000,00
    Consórcio Atena R$ 132.081.000,33 R$ 108.281.000,00
    Consórcios Cemitérios e Crematórios SP R$ 125.605.000,00 R$ 108.281.000,00
    Consórcio Monte Santo R$ 110.446.620,00 R$ 108.281.000,00

    No total, as quatro melhores propostas recebidas pela Prefeitura Municipal para os 22 cemitérios totalizaram R$ 646,4 milhões.

    O resultado da concessão acontece após várias tentativas de passar a administração dos cemitérios para a iniciativa privada contestadas pelo Tribunal de Contas do Município (TCM).

    Histórico

    Os envelopes da licitação foram finalmente abertos pela gestão municipal em 26 de julho.

    A concessão dos cemitérios municipais, segundo a prefeitura, será feita por 25 anos e gerará cerca de R$ 1,2 bilhão em benefícios econômicos para a cidade, além de qualificar os serviços oferecidos para usuários, que são alvo de inquérito do Ministério Público de São Paulo por causa do abandono (veja mais abaixo).

    Os consórcios vencedores serão responsáveis por gestão, operação, manutenção, exploração, revitalização e expansão dos 22 cemitérios e um crematório público, bem como a criação de três novos crematórios para a cidade.

    De acordo com o Serviço Funerário, todas as gratuidades já garantidas pelas leis municipais permanecerão após a concessão, tanto em relação a sepultamentos quanto a cremações.

    Além da expansão das gratuidades para a cremação, a prefeitura diz que houve redução de 25% no valor do funeral social no edital de concessão, que passa de R$ 755 para R$ 566.

    Investigação do Ministério Público

    No início de julho, o Ministério Público de São Paulo abriu um inquérito para apurar o abandono nos 22 cemitérios municipais da capital paulista, que sofrem com roubos, furtos e depredações há anos.

    Para a Promotoria, a situação de abandono em que vários cemitérios se encontram já causa danos ao patrimônio histórico e cultural da cidade, em virtude da falta de cuidado, de conservação de túmulos e de segurança.

    No inquérito, os promotores justificam que os cemitérios deveriam ser protegidos pela gestão municipal, mas o Poder Público vem se eximindo da questão ao longo de várias gestões de prefeitos de diferentes partidos, sem adoção de medidas efetivas para a conservação de bens públicos.

    A investigação pede que a prefeitura forneça uma relação completa dos construtores e prestadores de serviço cadastrados nos cemitérios da cidade, com informação sobre como eles foram selecionados e a devida licitação de cada um deles.

    Eles também pedem a indicação das empresas que vendem caixões, flores e outros produtos para velórios e enterros, com os valores cobrados, além de um relatório atualizado com a situação de cada um dos 22 cemitérios da capital.

    O que diz a Prefeitura de SP

    A gestão Ricardo Nunes (MDB) disse, à época, que recebeu a notificação do Ministério Público e vai responder aos questionamentos dentro do prazo, que é no fim deste mês.

    Desde 2017, a capital tenta privatizar os cemitérios municipais e o crematório da Vila Alpina, sem sucesso. O Tribunal de Contas do Município (TCM) já suspendeu pelo menos cinco vezes o edital de concessão, por problemas administrativos e comerciais. A última vez foi em maio.

    Agora, a prefeitura afirma que todas as determinações do TCM foram acatadas e que publicou o edital para concessão no fim de junho e as propostas das empresas foram entregues até 26 de julho.

    Gostou dessas informações?

    Receba outras no seu Email e WhatsApp

      Seu nome (obrigatório)

      Seu e-mail (obrigatório)

      Número WhatsApp com DDD

      Autorizo o Portal Todas Funerárias a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários (Pare receber salve o nosso número WhatsApp em sua agenda 11 99567 7070)

       462 total de visualizações

      Clique e para ler tudo

      Eventos

      Congresso INOVARE 2022 em Foz do Iguaçu PR

      Publicação

      no

      Nos dias 8, 9 e 10 de Novembro de 2022,

      o Hotel Wish Resort receberá o maior congresso funerário do Brasil. Palestras, expositores, cases de sucesso e encontros com os maiores profissionais do setor.

      REALIZAÇÃO: LAIDOM CURSOS E TREINAMENTOS

      RESERVAS clique aqui

       

       

      Para mais informações acesse o site da orgnaização do evento OU CLIQUE AQUI

       792 total de visualizações

      Clique e para ler tudo

      Fatalidades

      Incendio na fabrica de urnas em Reduto MG

      Publicação

      no

      Um incêndio de grandes proporções destruiu uma industria de urnas funerarias, na ultima sexta-feira dia 22/07, na cidade de Reduto, na Zona da Mata mineira.

      Inicialmente, a corporação usou cinco mil litros de água para evitar que as chamas atingissem a parte externa da empresa. Os militares conseguiram retirar um carro antes que ele fosse atingido pelo incêndio.

      Mesmo com todos esforço empregado ao combate,  a estrutura da edificação foi comprometida pelo incêndio, o que ocasionou  desabamento. Nenhum representante da Defesa Civil da cidade foi encontrado para comentar o caso.

      Agravantes como materiais inflamáveis, thinner, verniz, madeira e urnas funerárias foram prepulsores para o aumento do fogo na fabrica.

      O prejuizos ainda não foram calculados, mas estima se que pouca coisa foi salva da chamas.

      Felizmente ninguem ficou ferido

      Urnas Minas

       1,574 total de visualizações

      Clique e para ler tudo

      FLUIDOS PARA TANATOPRAXIA

      Ataude Artigos Funerários

      Cursos com o Magno

      Recomendados

      CURSOS EM TANATOPRAXIA

      Congresso Inovare

      newsletter whatsapp

      + Mais lidas