Ligue-se a nós

Noticias

Casal é preso por vender Plano funerário Falso

Publicação

no

Este casal foi preso vendendo Plano Funerário Falso em Curitiba PR

casal-e-preso-por-vender-plano-funerario-falso

O casal preso se trata de: Dolíria Pereira Seluchinesk, de 52 anos, e João Amparo da Silva, de 45, foram presos em fragrante pela Delegacia de Estelionato (DE), na tarde de terça-feira dia 31/01. Os dois são suspeitos de vender planos funerários que não existiam a idosos de Curitiba. Os documento que eram utilizados eram de fachada conforme vemos na foto abaixo

Luto lirio do valeO alvo principal da dupla eram pessoas idosas que recebiam benefícios do INSS, Onde também eram coagidos a realizarem empréstimos em seus benefícios para bancar supostas despesas com o plano e também jazigos para sepultamento. Ao todo a dupla já haviam fraudados “300 clientes”. Na apreensão foram localizados documentos que comprovam a farsa, agenda telefônica entre outros.
Os dois aproveitavam de pessoas idosas que eram pouco instruídas afim de facilitar o golpe. Era apresentado aos idosos o “tal plano funerário” que custava em média R$1600,00. Para dar realidade o golpe Eles usavam ate um endereço físico no centro de Curitiba, onde funciona outra empresa. Ha casos mais graves onde o golpe ultrapassa o Valor R$10.000,00. E que ainda esta sendo investigado pelo Delegado Wallace de Oliveira Brito da Delegacia de Estelionato (DE)

Delegado Wallace de Oliveira BritoEles abordavam esses idosos na residência e forneciam um falso plano funerário com contratos falsos e induziam esses idosos para que assinassem esse contrato. Essas fraudes são direcionadas normalmente a idosos que residem sozinhos e que têm uma atenção mais fragilizada ou pouca instrução, disse o delegado Wallace de Oliveira Brito.

A polícia acredita que mais vítimas possam aparecer com a divulgação das imagens e do nome da dupla. Os policiais usaram o caso para alertar a população e pedir para que denúncias sejam feitas através do telefone (41) 3261-6600 para o Paraná ou 181 Disque Denúncia ou 190 da Policia Militar em todo Brasil.

A importância de ressaltar que planos funerários de empresas legalmente fundadas para essa finalidade, são completamente seguras para contratações. Desde março de 2016 esta em vigor a Lei 13261/16 que regulamenta esse produto. Com a Lei passou a existir um filtro para que empresas que atuavam de forma ilegal se adequassem ou simplesmente sejam extintas para que não haja outros casos em nosso País.

Fonte: Tribuna PR / Imagens Gerson Klaina

 

 1,500 total de visualizações

Clique e para ler tudo

Eventos

Congresso INOVARE 2022 em Foz do Iguaçu PR

Publicação

no

Nos dias 8, 9 e 10 de Novembro de 2022,

o Hotel Wish Resort receberá o maior congresso funerário do Brasil. Palestras, expositores, cases de sucesso e encontros com os maiores profissionais do setor.

REALIZAÇÃO: LAIDOM CURSOS E TREINAMENTOS

RESERVAS clique aqui

 

 

Para mais informações acesse o site da orgnaização do evento OU CLIQUE AQUI

 215 total de visualizações

Clique e para ler tudo

Fatalidades

Incendio na fabrica de urnas em Reduto MG

Publicação

no

Um incêndio de grandes proporções destruiu uma industria de urnas funerarias, na ultima sexta-feira dia 22/07, na cidade de Reduto, na Zona da Mata mineira.

Inicialmente, a corporação usou cinco mil litros de água para evitar que as chamas atingissem a parte externa da empresa. Os militares conseguiram retirar um carro antes que ele fosse atingido pelo incêndio.

Mesmo com todos esforço empregado ao combate,  a estrutura da edificação foi comprometida pelo incêndio, o que ocasionou  desabamento. Nenhum representante da Defesa Civil da cidade foi encontrado para comentar o caso.

Agravantes como materiais inflamáveis, thinner, verniz, madeira e urnas funerárias foram prepulsores para o aumento do fogo na fabrica.

O prejuizos ainda não foram calculados, mas estima se que pouca coisa foi salva da chamas.

Felizmente ninguem ficou ferido

Urnas Minas

 841 total de visualizações

Clique e para ler tudo

Curiosidade

O adeus aos amigos de patas movimenta o mercado de funeral pet

Publicação

no

A procura por cemitério e crematório para animais triplicou nos últimos dois anos. 

O drama da morte de um animal de estimação é comum em muitos lares brasileiros. Cães, gatos, aves, não são tratados apenas como um bichinho de estimação, mas como membros da família e muitos donos se sentem frustrados por não se despedir do seu fiel companheiro como gostariam.

Dizer o adeus a alguém que amamos nunca é fácil, ainda mais se for um animal de estimação, um companheiro fiel, com quem passamos momentos de alegria e cuidamos com tanto carinho. E, em uma hora difícil como essa, é preciso pensar no que fazer com o bichinho. Afinal, assim como os seres humanos, o corpinho deles também precisa ter uma destinação correta.

Os cemitérios e crematorios de animais são diversificados. Muitos oferecem também sala para velório, onde as famílias ficam em média 30 minutos antes do enterro ou cremação. Com direito a lápide de identificação, memorial digital entre outros. Os serviço para esse publico passou a ter um portifolio amplo para que nada possa faltar no momento da despedida.

Os tramentos e os cuidados com os pets se estendem desde ração balanceada, suplementos e medicamentos para o bem estar dos mascotes só aumenta com a avolução crescente do mercado pet.

Empresarios que ja notaram que o mercado tem potencial, ja começaram a se diversificar para poder oferecer um diferencial aos seus clientes.

O planos preventivos ja contam com assistencias em vida e no pos morte. E para administrar essa carteira de clientes de patas o SISFUN plataforma de gestão integrou a ferramenta para esse mercado. Esse mercado tem muito a crescer no periodo do pos pandemia devido as mudanças de habitos onde permitiu mais pessoas trabalharem de seus lares, e assim poder compartilhar um tempo maior com seu bichino de estimação.

No passado

Ao longo da história, muitas culturas desenvolveram o hábito de enterrar não só os corpos de seus entes humanos falecidos, como também de seus animais de estimação após sua morte. Algumas vezes seguido de rituais religiosos, o sepultamento possui também razões de higiene, sendo uma opção quando o corpo não pode ser eliminado de outras formas (ex: cremação). No passado, muitas famílias tinham o hábito de enterrar seus animais de estimação mortos em suas propriedades.

A pré historia

Os antigos egípcios são conhecidos por terem mumificado e enterrado gatos, que consideravam divindades e os romanos por possuírem formas muito semelhantes de lidar com a perda do animal de estimação, dedicando espaço na sepultura de seu proprietário para a companhia de seus animais queridos. Sepultar seu bicho de estimação após a morte deste, além de ser um gesto de carinho e retribuição às alegrias que ele nos deu em vida, faz parte de uma tendência conhecida como “humanização dos animais de estimação”, e que tem despertado à oferta de produtos e serviços voltados para este novo comportamento do consumidor.

graficoPara os que querem empreender no ramo, e “morder” uma fatia deste mercado, vale dizer que, a falta de espaços nas casas atuais, vem fazendo com que aumente nas cidades, médias e grandes do país, a procura pelo sepultamento em cemitérios de animais e tambem a cremação. Fenômeno impulsionado também pelo aumento do número de proprietários de animais domésticos, de ambos os sexos e idades variadas, em todas as regiões do país. Este mercado tem projeção de crescimento médio de 20% ao ano.

mazinha

Gostou de ficar sabendo?

Receba outras no seu Email e WhatsApp

    Seu nome (obrigatório)

    Seu e-mail (obrigatório)

    Número WhatsApp com DDD

    Autorizo o Portal Todas Funerárias a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários (Pare receber salve o nosso número WhatsApp em sua agenda 11 99567 7070)

     2,234 total de visualizações

    Clique e para ler tudo

    FLUIDOS PARA TANATOPRAXIA

    Ataude Artigos Funerários

    Cursos com o Magno

    Recomendados

    CURSOS EM TANATOPRAXIA

    Congresso Inovare

    newsletter whatsapp

    + Mais lidas